O Fofo do Natal

 

Ele é presença incontestável no dia 25 de Dezembro: Panetone, símbolo do natal e de lendas gulosas e românticas, uma eterna receita.

Origem e História do Panetone

A origem do panetone, segundo a teoria mais conhecida, está na cidade de Milão, mais precisamente durante a Idade Média.  A iguaria natalina foi criada por um padeiro chamado Tony, com o objetivo de impressionar o pai da moça que ele gostava. As pessoas começaram a comprar o “pão de Tony”, termo do qual originou o nome “panetone”.

Alguns estudiosos acreditam que a história do panetone não tem nenhum sentido. Não há evidências históricas que provem a existência de um padeiro chamado Tony. Na verdade, os pesquisadores acham pouco provável que alguém fosse chamado por um apelido desses na época medieval.

De acordo com pesquisadores da língua portuguesa, o apelido Tony surgiu apenas após a Segunda Guerra Mundial, como a abreviação do nome inglês Anthony. Desta forma, é pouco provável que um jovem chamado Tony tenha criado a receita do panetone.

A história do panetone tem outras versões. Algumas pessoas acreditam na lenda de que a corte de Ludovico, o Mouro, criou a iguaria na véspera do natal, por volta de 1494-1500. Em uma das festas, a iguaria acabou queimando e um cozinheiro chamado Tony precisou improvisar: ele juntou as sobras de ingredientes da sobremesa original, preparou o pão e serviu durante o banquete. Ludovico ficou encantado com o sabor da iguaria e resolveu chama-la de “Pani de Toni”.

Confira essa eterna receita:

Panetone Caseiro

Ingredientes

– 500g de farinha de trigo
– 40g de fermento biológico
– 100g de manteiga
– 35g de leite em pó
– 35g de mel
– Essência de laranja a gosto
– 100g de açúcar
– 5 gemas
– 5 g de sal
– 400g de frutas cristalizadas
– 300g de uvas passas
– 1 copo de água

Modo de preparo

fotopanetone

1- Misture o fermento biológico, 100 gramas de farinha de trigo e um pouco de água morna (3 colheres de sopa). A essa mistura dá-se o nome de esponja. Deixe-a descansar e crescer por cerca de 20 minutos em local seco e coberto por um filme plástico.

2- Despeje a farinha em uma superfície lisa e limpa, e abra um buraco no centro. Acrescente os ingredientes um a um. Primeiro a esponja, depois a manteiga e o leite em pó. Em seguida o mel, o açúcar e as gemas. Por último, o sal e algumas gotinhas de essência de laranja.

3-  Vá misturando com as mãos e incorporando os ingredientes. Mexa a massa e acrescente pequenas quantidades de água, aos poucos, para ajudar a dar o ponto.

4- A massa deve ficar lisa e macia, ao ponto de véu como se diz. Puxe a massa e veja se ela estica com facilidade, esse é ponto.

5- Com a superfície já limpa, unte com um pouco de óleo (as mãos também), abra a massa e despeje as frutas cristalizadas. Vá enrolando e envolvendo até formar uma bola.

6- Divida a massa em três, coloque em formas de papel e deixe crescer por 50 minutos até que dobre de tamanho. Corte a massa levemente em cima em forma de cruz, e leve ao forno por 40 ou 50 minutos a 180C.

A receita rende 3 panetones. Quem não gosta de frutas cristalizadas pode usar pedacinho de chocolate, fica uma delícia!

panetone2

A origem e história do Panetone são incertas, mas o sabor da iguaria natalina continua incomparável.

Beijos

Memórias de Cleide

Fonte: portaltudoaqui, mundodastribos