Não podemos fugir do que somos

Quem melhor que nós mesmos para fazer o que estamos destinados desde o nascimento? Há quem diga que destino é besteira… Mas por algum motivo viemos a esse mundo. Cada ser de um jeito único e diferente. Podemos encontrar pessoas com gostos, cabelos, olhos parecidos no mundo inteiro, mas nunca vamos nos deparar com alguém com a mesma essência. Todos temos vivências e experiências distintas, amores e amigos incomparáveis, tudo isso forma quem somos de verdade.

Podemos fugir de nós mesmo? Tentamos. Quantas vezes já tentamos… em vão, para então entender a impossibilidade de isso acontecer. Esse post é sobre aceitação e amor próprio. É sobre descobrir e amar o ser humano maravilhoso que habita em nós. Precisamos nos encontrar, encontrar nossa alma, espírito e percepção do mundo a nossa volta. É um processo constante pois nunca iremos embora desse mundo do mesmo jeito que viemos.

Que aprendamos, todos os dias: somos o que somos. Que possamos nos amar e não querer fugir do que está aqui dentro, o tempo todo com a gente. Que possamos entender, de uma vez por todas, que não existe a mínima possibilidade de vivermos com alegria enquanto o amor próprio não prevalecer. Quem ama a si mesmo é capaz de ter momentos de paz sem depender da aceitação alheia. Quem aceita a si mesmo pode, enfim, abrir o coração para todas as possibilidades maravilhosas que nos esperam.

Só nós mesmos somos capazes de entender o que acontece dentro da gente, mais ninguém poderá nos curar da tristeza, ansiedade, raiva… Por isso, aceite-se! Ame-se. Você é a sua eterna e melhor companhia.

Memórias de Mylena