A Morte por Vinícius de Moraes

Hoje, dia de saudade, de relembrar quem já foi. De perceber a morte e o quanto somos frágeis.

A morte é um processo, que a gente não gosta muito.

Mas depende, se for bandido, alguns preferem mais que se vá mesmo ou se há sofrimento.

A morte é controversa, mas nunca inesperada, já sabemos que um dia ela vem.

Pensando em saudade e morte, me lembrei de quando pequena meu pai escutava e lia muito Vinícius de Moraes. Em uma poesia, ele fala sobre morte de uma forma singela e delicada, como deve ser dita.

Com vocês Vinícius…

A MORTE

Rio de Janeiro , 1954

A morte vem de longe
Do fundo dos céus
Vem para os meus olhos
Virá para os teus
Desce das estrelas
Das brancas estrelas
As loucas estrelas
Trânsfugas de Deus
Chega impressentida
Nunca inesperada
Ela que é na vida
A grande esperada!
A desesperada
Do amor fratricida
Dos homens, ai dos homens
Que matam a morte
Por medo da vida.
Memórias de Taibelle